Mamonas Assassinas: O Meteoro na Cena Musical Brasileira

Mamonas Assassinas: O Meteoro na Cena Musical Brasileira

A banda que Fez o Brasil Rir e Chorar

Mamonas Assassinas foi uma das bandas mais queridas e irreverentes do Brasil, que deixou um legado de alegria e diversão.

Com seu estilo único e músicas engraçadas, eles conquistaram o coração do público em um curto período de tempo.

Neste artigo, exploraremos a trajetória de sucesso dos Mamonas Assassinas, o álbum de estreia que os catapultou para a fama, as performances hilárias que encantaram o público brasileiro, as curiosidades sobre a banda, a discografia completa e as músicas mais famosas, e o trágico fim dessa banda eternamente amada.

Começando a Trajetória de Sucesso dos Mamonas Assassinas

A história dos Mamonas Assassinas começou em Guarulhos, São Paulo, nos anos 90. A banda, formada por Dinho (vocalista), Bento (guitarrista), Samuel (baixista), Júlio (tecladista) e Sérgio (baterista), tinha um estilo musical único, misturando rock, pop e muita irreverência.

Com sua energia contagiante e letras descontraídas, os Mamonas conquistaram o público desde o início. Suas apresentações ao vivo eram verdadeiros espetáculos, cheios de bom humor e animação.

Antes de se tornarem os Mamonas Assassinas, a banda se chamava Utopia e fazia covers de outras bandas de rock.

Em 1994, eles decidiram mudar o nome e o estilo musical, apostando em uma mistura de gêneros e paródias.

Entre as opções, como Tangas Vermelhas, Os Cangaceiros do Teu Pai e Coraçõezinhos Apertados, o nome escolhido foi Mamonas Assassinas.

O álbum de estreia que conquistou o Brasil: “Mamonas Assassinas”

Em 1995, a banda lançou seu álbum de estreia homônimo, “Mamonas Assassinas”. O disco foi um sucesso imediato e vendeu milhões de cópias, tornando-se um dos álbuns mais vendidos da história da música brasileira.

As faixas do álbum, como “Vira-Vira”, “Pelados em Santos” e “Robocop Gay”, conquistaram o Brasil com seu humor irreverente e melodias contagiantes.

O álbum foi um verdadeiro fenômeno, transformando os Mamonas Assassinas em ídolos da juventude brasileira.

O álbum dos Mamonas Assassinas tem apenas 39 minutos e 8 segundos de duração, mas contém 14 músicas que marcaram época.

A banda misturou elementos de diversos estilos musicais, como forró, brega, pagode, heavy metal, sertanejo e música portuguesa.

As letras das músicas eram cheias de referências culturais, piadas e sátiras, que faziam rir e pensar ao mesmo tempo.

O álbum recebeu o certificado de Disco de Diamante da Associação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD) e ganhou o Troféu Imprensa de Melhor Música de 1995 com “Pelados em Santos”.

mamonas-assassinas-divulgação

As performances hilárias que encantaram o público brasileiro

Além das músicas divertidas, os Mamonas Assassinas eram conhecidos por suas performances hilárias nos palcos.

Com figurinos extravagantes e coreografias engraçadas, eles arrancavam risadas e aplausos do público.

Suas apresentações eram verdadeiros espetáculos de entretenimento, cheios de energia e bom humor.

Os Mamonas sabiam cativar o público com seu carisma e irreverência, deixando uma marca indelével na história da música brasileira.

Turnê por Todo Brasil

Em apenas oito meses, os Mamonas Assassinas fizeram shows em todos os estados do Brasil, exceto Acre e Tocantins. Eles chegavam a fazer três shows por dia, cobrando até 70 mil reais por apresentação.

Em seus shows, eles usavam roupas e acessórios que remetiam aos personagens de suas músicas, como o Robocop Gay, o Jumento Celestino, o Vira-Vira e o Pelado em Santos.

Eles também faziam paródias de outras bandas e artistas, como The Clash, Legião Urbana, Guns N’ Roses, Nirvana, Raul Seixas e Fábio Jr.

Curiosidades Sobre a Banda

Os Mamonas Assassinas eram uma banda cheia de curiosidades e fatos interessantes. Veja alguns deles:

  • O símbolo da banda é uma homenagem à Volkswagen, com o W de ponta cabeça e algumas modificações. A banda também fazia referências aos carros da marca em suas músicas, como Brasília e Kombi.
  • A introdução da música “Chopis Centis” é uma paródia de “Should I Stay or Should I Go”, da banda The Clash. “1406” é uma sátira ao comércio de um famoso canal de televendas. “Robocop Gay” foi inspirada no personagem do filme do Robocop e no personagem interpretado por Jô Soares nos anos 80, o Capitão Gay.
  • “Não Peide Aqui, Baby” esta música foi proibida e não entrou no álbum, ela foi gravada em uma versão demo e só foi lançada em 1998, na coletânea “Atenção, Creuzebek: A Baixaria Continua!”.
  • O termo “Creuzebek” era uma brincadeira com o nome de Rick Bonadio, o produtor da banda. Ele foi apelidado assim pelos Mamonas depois que um músico de forró foi gravar com ele e os meninos não conseguiram pronunciar seu nome corretamente.
  • “Pelados em Santos” está música foi inspirada em uma viagem que a banda fez para Santos, no litoral de São Paulo. Eles ficaram hospedados em uma pensão e resolveram sair pelados pela rua, causando confusão. A música também tem uma versão em espanhol, chamada “Desnudos en Cancún”.
Mamonas Assassinas: O Meteoro na Cena Musical Brasileira

Discografia do Mamonas Assassinas

A discografia completa e as músicas mais famosas Os Mamonas Assassinas lançaram apenas um álbum de estúdio em sua carreira, mas também tiveram outras coletâneas e álbuns ao vivo. Veja a discografia completa da banda:

  • Mamonas Assassinas (1995): o álbum de estreia e único de estúdio da banda, que contém os maiores sucessos, como “Pelados em Santos”, “Robocop Gay”, “Vira-Vira”, “Chopis Centis” e “1406”.
  • Atenção, Creuzebek: A Baixaria Continua! (1998): uma coletânea de versões ao vivo, com três músicas inéditas gravadas em estúdio: “Joelho”, “Onon Onon” e “Desnudos en Cancún”.
  • Mamonas (Ao Vivo) (2006): um álbum ao vivo que registra um dos últimos shows da banda, realizado em Valinhos, São Paulo, em 1996. O álbum contém todas as músicas do disco de estreia, além de “Não Peide Aqui, Baby” e “Tema da Pantera Cor de Rosa”.
  • 1: 16 Hits (2009): uma coletânea que reúne 16 músicas da banda, incluindo as inéditas “Joelho” e “Onon Onon”, e uma versão remix de “Mundo Animal”.
  • Pelados em Santos (2014): uma coletânea que traz 15 músicas da banda, sendo 14 do álbum de estreia e uma versão em espanhol de “Pelados em Santos”.
  • Mamonas Assassinas – O Filme (2023): uma coletânea que acompanha o filme sobre a banda, que estreou nos cinemas em 2023. O álbum contém 14 músicas da banda, sendo 13 do álbum de estreia e uma versão em inglês de “Pelados em Santos”.

Músicas Famosas

As músicas mais famosas dos Mamonas Assassinas são aquelas que fizeram parte do álbum de estreia.

  • Pelados em Santos”: a música mais famosa da banda, que conta a história de um rapaz que tenta conquistar uma garota na praia, mas acaba sendo rejeitado. A música tem um refrão pegajoso e um ritmo animado, que mistura rock e forró. A música tem versão em espanhol, “Desnudos en Cancún”, que foi gravada para o mercado latino-americano.
  • Robocop Gay”: uma paródia do filme Robocop, que narra as aventuras de um policial cibernético que se transforma em um super-herói homossexual. A música tem um tom sarcástico e faz críticas à violência e à homofobia. A música também tem uma coreografia divertida, que imita os movimentos do personagem do filme.
  • Vira-Vira”: uma sátira à música portuguesa, que fala sobre um homem que se veste de mulher e se envolve com um vira-lata. A música tem um ritmo acelerado e uma letra cheia de trocadilhos e duplos sentidos. A música faz referências a outras personalidades portuguesas, como o cantor Roberto Leal e o escritor Fernando Pessoa.
  • Chopis Centis”: uma paródia do rock inglês, que conta a história de um garoto que vai ao shopping comprar chicletes, mas acaba se envolvendo em confusões. A música tem uma introdução que imita a música “Should I Stay or Should I Go”, da banda The Clash, e uma letra que faz piadas com o consumismo e a cultura pop.
  • 1406”: uma sátira ao comércio de um famoso canal de televendas, que oferece produtos inúteis e enganosos. A música tem uma letra que ironiza as ofertas e as condições de pagamento, e um refrão que repete o número do telefone do canal. A música tem uma parte que imita o estilo do cantor Fábio Jr., que era um dos garotos-propaganda.
mamonas-assassinas-divulgação1

O Terrível Acidente

O trágico fim de uma banda irreverente, mas eternamente amada Infelizmente, a trajetória dos Mamonas Assassinas foi interrompida de forma trágica.

Em março de 1996, a banda sofreu um acidente aéreo fatal, que tirou a vida de todos os seus integrantes. A notícia chocou o país e deixou uma imensa lacuna na música brasileira.

Apesar do fim prematuro, o legado dos Mamonas Assassinas permanece vivo até hoje. Suas músicas continuam sendo tocadas e seu humor irreverente é lembrado com carinho por fãs de todas as idades.

A banda deixou uma marca eterna na cultura brasileira, mostrando ser possível fazer música de qualidade com alegria e irreverência.

Será que Eles Seriam Aceitos Hoje, Devido suas Letras e Atitudes no Palco

Essa é uma pergunta interessante, mas difícil de responder. As letras dos Mamonas Assassinas eram muito divertidas, mas também podiam ser consideradas ofensivas, preconceituosas ou politicamente incorretas.

Talvez eles tivessem que se adaptar aos novos tempos e às novas sensibilidades, ou talvez eles mantivessem seu estilo irreverente e provocador, desafiando as convenções e as críticas.

O que você acha? Você acha que eles seriam aceitos hoje? Deixe seu comentário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
Pinterest
X
Email
WhatsApp