Los-Hermanos-Album-Los-Hermanos

Los Hermanos: Com uma História Singular, eles Romperam Esquemas

Os Los Hermanos, uma das bandas mais icônicas do cenário musical brasileiro, têm uma história singular.

Desde o estouro de seu primeiro sucesso, “Anna Júlia”, há duas décadas, eles trilharam um caminho atípico na era digital.

Mesmo sem lançar material novo desde 2005 e estar em pausa desde 2007, mantiveram seu prestígio e conquistaram uma nova geração de fãs.

Tudo isso sem ceder às estratégias de marketing, redes sociais ou modismos do mercado.

Origens e Influências

Os Los Hermanos tiveram uma origem interessante e diversificada. 

Início e Repercussão (1997 – 1998)

Marcelo Camelo (estudante de jornalismo) e Rodrigo Barba (estudante de psicologia), ambos da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), fundaram a banda.

Contrapondo o peso do hardcore com letras leves sobre o amor, eles criaram um som único.

O tecladista Bruno Medina, também estudante da PUC-Rio, juntou-se à formação.

Com a entrada de Rodrigo Amarante (vocais, guitarra e percussão) e Patrick Laplan (baixo), a banda gravou suas primeiras demos em 1997: “Chora” e “Amor e Folia”.

As demos repercutiram na cena underground do Rio de Janeiro, levando os Los Hermanos a tocar em festivais como o “Superdemos” e o Abril Pro Rock em Recife.

Los Hermanos e o Sucesso (1999 – 2001)

Em 1999, assinaram com a gravadora Abril Music e lançaram seu primeiro álbum homônimo.

O álbum, influenciado pelo rock, ska e samba, cativou o público jovem.

O hit “Anna Júlia” impulsionou a carreira da banda, e o álbum foi produzido por Rick Bonadio.

Trajetória e Legado

Os Los Hermanos seguiram uma trajetória atípica, mantendo sua autenticidade e resistindo às pressões comerciais.

Mesmo em pausa desde 2007, continuam a conquistar fãs de diferentes gerações.

Seu legado é marcado pela qualidade musical e influência duradoura na cena brasileira.

Formada no Rio de Janeiro em 1997, a banda mistura rock com MPB.

Influenciados por bandas do underground carioca dos anos 1990, como Acabou La Tequila e Carne de Segunda, e também por artistas estrangeiros como Weezer e Squirrel Nut Zippers.

A estética dos Los Hermanos influenciou muitos artistas brasileiros que surgiram após eles.

Curiosidades sobre os integrantes da banda Los Hermanos

Marcelo Camelo:

  • Cursando jornalismo na PUC-Rio, Marcelo Camelo compunha suas próprias músicas nos fins de semana.
  • Ele foi o fundador da banda e atuou como vocalista e guitarrista.
  • Além dos Los Hermanos, Marcelo também lançou discos solo e participou de grandes festivais, como o Tim Festival e o Coquetel Molotov.

Rodrigo Amarante:

  • Rodrigo Amarante é um verdadeiro “coringa” do grupo.
  • Ele se destacou por sua habilidade em tocar vários instrumentos.
  • Após a pausa da banda, Rodrigo seguiu carreira solo e também integrou projetos como Little Joy e Banda do Mar.

Bruno Medina:

  • Bruno Medina, estudante de Publicidade na PUC-Rio, foi o primeiro convidado por Marcelo Camelo para a banda.
  • Ele é o tecladista dos Los Hermanos e contribuiu para a sonoridade única da banda.
  • Juntamente com Camelo, ele ajudou a moldar o som marcante da banda, combinando elementos de rock, ska e samba.

Rodrigo “Barba”:

  • Rodrigo Barba é o baterista da banda.
  • Sua presença rítmica e energia no palco contribuíram para o sucesso dos Los Hermanos.
  • Ele também é conhecido por seu estilo de vida tranquilo e introspectivo.

Patrick Laplan:

  • Patrick Laplan foi o baixista original da banda, mas não permaneceu por muito tempo.
  • Sua contribuição inicial ajudou a estabelecer a base musical dos Los Hermanos.
  • Ele deixou a banda antes do lançamento do primeiro álbum, mas sua influência ainda é sentida.

Márcio e Carlos:

  • Márcio (trompetista) e Carlos (saxofonista) eram membros da banda.
  • Eles tinham a intenção de tocar em uma banda de jazz.
  • Sua presença adicionou elementos de metais carnavalescos à sonoridade dos Los Hermanos.

As Influências Musicais de Los Hermanos

Os Los Hermanos, uma banda brasileira de rock alternativo formada no Rio de Janeiro em 1997, têm uma trajetória musical marcada por influências diversas.

Proponho conhecermos algumas delas:

Underground Carioca dos Anos 1990

  • Os Los Hermanos foram fortemente influenciados por bandas do underground carioca da década de 1990.
  • Grupos como Acabou La Tequila, Carne de Segunda e Mulheres Q Dizem Sim deixaram sua marca na sonoridade da banda.
  • Essas bandas independentes contribuíram para a formação do som único dos Los Hermanos.

Weezer

  • A sonoridade dos Los Hermanos também foi moldada por influências estrangeiras.
  • Weezer, uma banda americana de rock alternativo, deixou sua marca no som dos Los Hermanos.
  • Elementos do rock e da energia do Weezer podem ser encontrados em algumas músicas da banda brasileira.

Squirrel Nut Zippers

  • Essa banda americana de swing e jazz também influenciou os Los Hermanos.
  • A fusão de estilos e a abordagem eclética dos Squirrel Nut Zippers podem ser percebidas na diversidade musical dos Los Hermanos.

Jovem Guarda

  • As letras dos Los Hermanos, especialmente em seu primeiro álbum homônimo, têm um estilo que remete à Jovem Guarda.
  • Essa influência é evidente em músicas como “Anna Júlia”, que cativaram o público jovem com sua simplicidade e paixão.

Samba e Ska

  • O conjunto musical dos Los Hermanos é uma mistura de influências.
  • O samba e o ska também desempenharam um papel importante na sonoridade da banda.
  • Essa fusão de gêneros resultou em um som característico e cativante.

Em resumo, os Los Hermanos são uma síntese de influências brasileiras e estrangeiras, combinando elementos do rock, indie, samba e muito mais.

Trajetória e Sucessos

  • O hit “Anna Júlia” alavancou a carreira da banda.
  • O segundo álbum, “Bloco do Eu Sozinho”, marcou uma mudança estética e econômica, afastando-se do mainstream.
  • Mesmo sem lançamentos recentes, a paixão pelo grupo foi transmitida de geração em geração, mantendo e ampliando sua base de fãs.

Algumas das músicas mais famosas da banda

“Anna Júlia”:

Escrita por Marcelo Camelo, essa canção foi inspirada em um amor platônico do produtor Alex Werner por Anna Julia Werneck, quando ambos eram estudantes universitários na PUC Rio.

“Quem te vê passar assim por mim, não sabe o que é sofrer”, os versos cativaram o público e tornaram “Anna Júlia” um clássico instantâneo.

“Último Romance”:

Do álbum “Ventura” (2003), essa música marcou o início do destaque de Rodrigo Amarante como compositor.

A profundidade lírica e a melodia envolvente fizeram dela um sucesso duradouro.

“Sentimental”:

O sentimentalismo sempre permeou a música dos Los Hermanos.

“Sentimental” é um retrato da banda, com letras profundas e uma sonoridade característica.

“O Vento”:

Single do álbum “4”, lançado antes do hiato da banda em 2007.

Mesmo após o período de pausa, essa música continua a tocar os corações dos fãs.

“O Velho e o Moço”:

Mais que uma música, é uma reflexão sobre a vida.

Apresenta duas visões de mundo, em diferentes estágios da vida, com uma mensagem profunda e tocante.

“Além do Que Se Vê”:

Uma carta de esperança, muitos fãs a interpretam como uma mensagem do filho para a mãe.

Marcelo Camelo sempre soube combinar reflexão e narrativa em suas letras.

“Cara Estranho”

É uma das músicas icônicas dos Los Hermanos. Escrita por Marcelo Camelo, essa canção aborda a temática da identidade e da busca pelo autoconhecimento. E nos convida a mergulhar em questões profundas sobre quem somos e como nos encaixamos no mundo.

Essas músicas são apenas uma amostra do talento e da autenticidade dos Los Hermanos.

Legado e Longevidade

Os Los Hermanos são um fenômeno por romper esquemas e focar na qualidade de sua obra.

A banda atravessou gerações, conquistando tanto os ouvintes originais quanto os mais jovens.

Seu legado é marcado pela autenticidade, resistência e influência duradoura na música brasileira.

Influência e Legado

Os Los Hermanos deixaram uma marca indelével na música brasileira. Sua abordagem autêntica e resistência à comercialização os tornaram um farol para artistas independentes.

A banda não se limitou a um único gênero, mas fundiu elementos de Rock, MPB e indie, criando uma sonoridade única.

Rodrigo Amarante, Marcelo Camelo, Bruno Medina e Rodrigo Barba seguiram caminhos individuais após a pausa da banda, com projetos como Little Joy, Banda do Mar e Orquestra Imperial.

O retorno temporário em 2019 para uma turnê comemorativa reacendeu a paixão dos fãs e mostrou que o legado dos Los Hermanos permanece vivo.

Em Conclusão: Os Los Hermanos são mais do que uma banda; são um símbolo de integridade artística e paixão pela música. Seu impacto transcende gerações e fronteiras, e sua música continua a ressoar na cena musical do Brasil e America Latina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
Pinterest
X
Email
WhatsApp