Erasmo Carlos: O Ícone da Jovem Guarda

Erasmo Carlos: O Ícone da Jovem Guarda album-carlos-erasmo-1971

Erasmo Carlos é um dos maiores nomes da música brasileira, com uma carreira que se estende por mais de seis décadas.

Conhecido como o Tremendão, ele é um ícone da Jovem Guarda, o movimento musical que revolucionou o cenário cultural do país nos anos 60.

A carreira musical de Erasmo Carlos começou nos anos 50, quando ele integrou o grupo vocal The Snakes.

Depois, ele se tornou amigo e parceiro de Roberto Carlos, com quem compôs centenas de sucessos que marcaram gerações.

A Eterna Parceria de Erasmo e Roberto Carlos

Roberto Carlos e Erasmo Carlos foram grandes amigos e parceiros musicais, que se conheceram na adolescência através do rock’n’roll.

Eles foram os fundadores da Jovem Guarda, um movimento musical que fez sucesso nos anos 60, com canções de rock, pop e soul.

Roberto Carlos e Erasmo Carlos compuseram juntos centenas de sucessos, como “Amigo”, “Sentado à Beira do Caminho”, “É Preciso Saber Viver” e “Detalhes”.

Eles também atuaram juntos em filmes e programas de TV. Eles se chamavam de “irmãos”, mas não tinham parentesco de sangue.

Erasmo e Roberto Carlos mantiveram uma amizade fiel e duradoura até a morte de Erasmo Carlos, em 2022.

erasmo-carlos-album-O-Tremendão

O Estilo Único do Tremendão

O estilo do Erasmo Carlos se caracteriza por influências nacionais e internacionais, como a bossa nova, o samba, o blues, e o rock and roll.

Erasmo Carlos sempre se reinventou ao longo dos anos, lançando álbuns que mostram sua versatilidade e criatividade. Como os álbuns “Carlos, Erasmo” (1971), “Sonhos e Memórias” (1972), “Santa Teresa” (2017) e “Amor é Isso” (2018).

Discografia do Tremendão Erasmo Carlos

A discografia da carreira solo do Erasmo Carlos é composta por 75 álbuns, entre estúdio, ao vivo, singles e coletâneas.

Ele iniciou sua carreira solo em 1967, com o álbum Erasmo Carlos, e lançou seu último trabalho em 2019, com o álbum Quem Foi Que Disse Que Eu Não Faço Samba.

Músicas Mais Famosas

Minha Fama de Mau (1965): Essa música é um dos primeiros sucessos do Erasmo Carlos.

Ela que conta a história de um rapaz rebelde e descolado, que não se importa com a opinião dos outros.

A música tem uma pegada de rock’n roll, com uma letra divertida e irônica, que mostra o estilo do Tremendão.

Festa de Arromba (1965): Essa música é um clássico da Jovem Guarda, que fala sobre uma festa animada e cheia de gente famosa.

A música tem um ritmo dançante, com uma letra que cita vários nomes da música brasileira, como Elis Regina, Jorge Ben, Wilson Simonal, entre outros.

A música é uma homenagem à cena musical da época.

Gatinha Manhosa (1966): Essa música é uma das mais românticas do Erasmo Carlos, que fala sobre o amor por uma garota mimada e teimosa.

A música tem uma melodia suave e doce, com uma letra que expressa a paixão e a paciência do cantor pela sua amada.

A música é uma das preferidas dos fãs do Tremendão.

erasmo-carlos-revista-intervalo-panelinha-na-bossa-nova

Músicas dos Anos 80

Sentado à Beira do Caminho (1980): Essa música é uma das mais emocionantes do Erasmo Carlos.

Ela fala sobre a solidão e a tristeza de um homem que perdeu o seu amor. A música tem uma melodia triste e melancólica.

A letra que descreve a dor e o desespero do cantor, que espera pela volta da sua amada. A música é uma das mais famosas da parceria com Roberto Carlos.

Mesmo que Seja Eu (1982): Essa música é uma das mais reflexivas do Erasmo Carlos. Ela fala sobre a busca pelo sentido da vida e pelo amor verdadeiro.

A música tem uma melodia introspectiva e profunda, com uma letra que questiona a existência e o destino do cantor, que deseja encontrar alguém que o compreenda e o aceite.

A música é uma das mais filosóficas do Tremendão.

Sou Uma Criança, Não Entendo Nada: Essa música é uma das mais lúdicas do Erasmo Carlos. Ela fala sobre a inocência e a curiosidade de uma criança, que não compreende o mundo dos adultos.

A música tem uma melodia de bossa nova e samba, com uma letra que mostra o olhar infantil e ingênuo do cantor, que se encanta com as coisas simples da vida.

É a canção mais delicada do Tremendão.

A Música mais Polemica de Erasmo Carlos

Mulher (Sexo Frágil): Essa música é uma das mais divertidas do Erasmo Carlos. Ela fala sobre a relação entre homens e mulheres, com um tom de humor e admiração.

A música tem uma melodia de funk e soul. A letra elogia as qualidades e as virtudes das mulheres, que são fortes, inteligentes, independentes e sensuais.

A música é uma das mais animadas do Tremendão. Composta em parceria com Narinha, esposa de Erasmo falecida em 1995, Mulher (Sexo Frágil) traz o ponto de vista de um homem que começa a repensar o seu machismo ao testemunhar a exaustiva rotina de uma mulher, que trabalha, cuida da casa, dos filhos e ainda tem que lidar com as cobranças e as injustiças da sociedade.

A música é uma crítica bem-humorada ao preconceito e à desigualdade de gênero.

erasmo-carlos-album-Erasmo-Carlos-e-os-Tremendões

Erasmo Carlos Inspirou Vários Artistas

A influência de Erasmo Carlos na música brasileira é imensa, pois ele inspirou e colaborou com diversos artistas de diferentes gerações, como Caetano Veloso, Gilberto Gil, Rita Lee, Marisa Monte, Nando Reis, Arnaldo Antunes, Adriana Calcanhotto, Marcelo Camelo, entre outros.

O carisma e a energia de Erasmo Carlos no palco são contagiantes, pois ele sabe como envolver e emocionar o público com suas canções e sua simpatia.

Ele também se aventurou no cinema e na televisão, atuando em filmes como “Roberto Carlos em Ritmo de Aventura” (1968), “Minha Fama de Mau” (2019) e na série “Os Normais” (2001).

Erasmo Carlos é o eterno jovem da música brasileira, pois ele nunca perdeu a sua essência, o seu amor pela arte e a sua vontade de se expressar.

Ele é um exemplo de talento, originalidade e persistência, que continua a encantar e a surpreender os seus fãs com a sua obra.

Respostas de 2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook
Pinterest
X
Email
WhatsApp